Logotipo
   

> Diversos > Saiba a sua Velocidade na Internet

Qual a velocidade da sua Internet?

Para ver qual a sua capacidade de leitura (download), pode testar em vários sítios da Web... alguns deles:

Testes que usam a tecnologia HTML5

- OpenSpeedTest.
- DSLReports SpeedTest. Vários Servidores, tenta escolher o melhor automaticamente.
- nPerf. Vários servidores, tenta escolher o melhor automaticamente.
- Speed of Me. Vários Servidores, tenta escolher o melhor automaticamente.
- TestMy Net LLC. Serviço de testes mais orientado para utilizadores avançados.
- Bandwidth Place. Vários Servidores, se não mudar nada tenta aquele cujo ping determinar ser mais rápido.
- Ookla SpeedTest. Servidores em diversas localizações.
- Internet Speed Test (Sourceforge). Servidores em várias localizações. Tenta escolher o melhor automáticamente.
- Speed Test Google Fiber. Servidores nos Estados Unidos da América.

Testes que usam a tecnologia FLASH

- FCCN. [IPv6: OK] O servidor está situado nas instalações da FCCN de Lisboa.
- Test de velocidad. O servidor está localizado no estrangeiro.

Testes que usam a tecnologia Oracle Java

- Teste de velocidade da PT. Servidor situado em Portugal.
- AuditMyPc. O servidor está localizado no estrangeiro.

 

Quando efectuar o teste, certifique-se de que:

- Tem os ficheiros temporários (incluindo os do browser) do seu computador todos eliminados (sugiro o programa gratuito PrivaZer ou o CCleaner para conseguir isto);
- Não existe nenhum programa a consumir largura de banda (a enviar ou receber dados);
- Que tem somente o browser aberto e todos os programas desnecessários estão desligados;
- Deve ter o seu sistema operativo e programas instalados completamente actualizados;
- Verifique com o seu sistema antivirus e antispyware, se o seu sistema informático está livre de qualquer programa maligno (sugiro o programa comercial BitDefender Antivirus Plus, Panda dome ESSENTIAL ou por exemplo o Avira AntiVirus Pro para conseguir isto);
- Deverá iniciar uma nova ligação à Internet antes de começar o teste se tiver estado a utilizar programas do género p2p (ou seja de partilha de ficheiro e outros que possam fazer com que o seu IP seja alvo de solicitações de outros sistemas informáticos que podem influenciar o teste).

Nota adicional:
Nenhum dos testes é garantidamente perfeito, mas ajudá-lo-á a ter uma uma ideia mais clara da velocidade real que consegue atingir. Use mais que um serviço (um de cada vez) para ter uma ideia mais real.

Os testes consomem tráfego tanto a descarregar como a enviar ficheiros, se tem o tráfego muito limitado (ex.: menos de 5 GB por mês) não use testes de velocidade a menos que não se importe de eventual pagar o tráfego que exceda o limite do seu plano tarifário.

Repita os testes:
Um único teste não é suficiente para verificar a velocidade real. Deve repetir os testes por exemplo a cada hora durante vários dias, para fazer uma média da velocidade real.
Note que tais testes gastam tráfego! Se tiver limites de tráfego no seu plano tarifário poderá não querer fazer estes testes, porque alguns testes gastam bastante tráfego.


Ter em atenção:
A velocidade medida depende de inúmero factores como: a utilização do servidor no momento do teste, a largura de banda disponível no servidor na altura do teste, congestionamentos na rede entre o seu sistema informático e o servidor, da capacidade de largura de banda do seu operador e naturalmente do seu sistema informático... todos estes factores (e eventualmente outros) podem influenciar o resultado... pelo que não o tenha como algo fidedigno mas apenas como uma referência.

Que mais testes posso fazer?
Aceder a servidores de FTP (do seu operador de Internet, e de outros internacionais) e fazer download de alguns ficheiros conforme a velocidade da sua Internet de ficheiros de 50 mb, 100 mb, 250 mb, etc. para ver qual a velocidade que aparentemente a ligação consegue fazer. Experimente a horas diferentes do dia, e ao longo de alguns dias. Atenção que alguns operadores impõem limites de tráfego, tenha o cuidado de ver se não atinge o limite com estes testes.

O que posso fazer para melhorar os resultados?
Existem muitas coisas que pode fazer para melhorar os resultados, tais como:

- Usar um programa comercial para optimizar os parâmetros de ligação à Internet/ Rede, sugiro o Auslogics BoostSpeed.

- Mudar o aparelho de acesso à Internet (modem). Em alguns casos como na Internet por cabo e por fibra-óptica pode não ser possível, porque o operador pode ter bloqueado o acesso à Internet apenas aquele aparelho... experimente a Internet directamente no aparelho, se for boa o que estará mal serão os outros aparelhos... se tiver com problemas é melhor contactar o seu operador e exigir a substituição do aparelho ou a reparação do problema.

- Por vezes o problema está no aparelho que faz a distribuição do sinal da rede sem fios, o meu conselho vai para que adquira um aparelho chamado Router sem fios à parte que suporte a Norma: N... se o aparelho instalado não suportar esta norma (que permite velocidades entre 7.2 Mbps e 600 Mbps na rede dependente do aparelho de emissão, o receptor e condições circundantes... actualmente muito mais do que a velocidade utilizada pela maioria das pessoas com fibra-óptica) e o ligue ao porto de rede do modem que foi fornecido (ou que comprou) e desligue a rede sem fios do próprio modem. O seu computador terá de ter uma placa de rede sem fios que seja também compatível com a norma N... ou terá de adquirir uma à parte.
  Já existe uma nova norma de redes sem fio: "AC" que permite uma largura de banda agregada teórica entre 433 Mbit/s e 6.77 Gbit/s dependendo do router sem fios e do dispositivo (a maioria dos dispositivos, especialmente os mais pequenos, e que funcionam a bateria, não alcançam a velocidade máxima pois não tem por exemplo as 8 antenas requeridas para tal).

  Se tiver rede sem fios em todos os locais que deseja, pondere reduzir a potência do sinal para o mínimo necessário para atingir esses locais, de forma a que o sinal não se propague mais do que o necessário e assim proteger-se de tentativas de intrusão na rede... além de que evita criar interferências nas redes vizinhas... e talvez ainda faça melhor à sua saúde menos radiação rádio.

- Verifique com o Homedale (na divisória "Acess Points". Quanto menor o valor, melhor! Por exemplo "-30" é muito melhor que "-50" ou "-89"! Algumas placas sem fios não funcionam bem com este programa infelizmente) quais os canais menos ocupados e que menos interferem na sua área e use essa frequência no aparelho que imite o sinal sem fios (Router Wireless)... caso pior a qualidade, mude para outros canais até encontrar o que pareça ser melhor. Geralmente é melhor ou meter no canal mais afastado possível daquele que parece ser mais usado, ou meter no mesmo canal, pois em ambos os casos os routers gerem melhor seja no canal mais afastado possível da interferência principal ou estando a funcionar no mesmo canal em que modelam o sinal de forma melhor, do que se tiver no canal ao lado... isto é válido nos 2,4 GHz. Nos 5 GHz meter no canal ao lado é o mesmo que meter muito longe nos 2,4 GHz porque as frequências nesse caso não se interferem por já terem espaçamento suficiente entre si... mas meter longe não fará mal!

Note que o espaçamento normal na banda dos 5 GHz são 20 MHz, mas os aparelhos também poderão utilizar 40, 80 e 160 MHz de espaço rádio ocupado para proporcionar maiores velocidades e nestes casos o canal ao lado já não estará suficientemente longe!

2.4 GHz:
Se for 20 MHz deverão ser utilizados os canais 1, 6, 11.
Se for 40 MHz deverão ser utilizados os canais 1 e 9... idealmente só um dos canais.

5 GHz:
Se for de 40 MHz deverão ser utilizados os canais: 36, 44, 52, 60, 100, 108, 116, 124, 132.
Se for de 80 MHz deverão ser utilizados os canais: 36, 52, 100, 116.
Se for de 160 MHZ deverão ser utilizados os canais: 36, 100.

Os canais acima pressupõem condições ideais, por tanto, que não existem outros aparelhos a operar nestas frequências nas proximidades, se existirem poderão naturalmente interferir e outras opções poderão ser mais viáveis.

- Mude o nome da Rede (SSID) para algo único, de forma a melhor identificar qual é a sua rede. Não coloque o seu nome ou outra coisa que identifique facilmente que é da sua casa, para ajudar a proteger a sua privacidade.

- Proteja a sua rede sem fios, use o modo a certificação WPA2 (AES), com um código aleatório de pelo menos 24 caracteres. Certifique-se que não usa o código que vem de fábrica! Muitas pessoas deixam como vem de fábrica e depois outros aproveitam-se de erros cometidos pela fábrica e conseguem entrar com facilidade nas redes.
   Lembre-se: nos aparelhos que tem duas frequências (ou mais) tipo 2.4GHz e 5GHz deve activar a opção WPA2 (AES) em ambas... porque em alguns aparelhos tem opções diferentes para os dois tipos de rede.

- Desligue a função WPS (Wi-Fi Protected Setup) do seu router sem fios.
  Em teoria só permite que alguém que saiba o código de 8 dígitos indicados no próprio aparelho ou criado na zona de administração do router sem fios aceder a ele... contudo devido a falhas de segurança na concepção do protocolo WPS, permite que qualquer um que queira, possa com a ajuda de alguns programas disponíveis na Internet, descobrir o código entre segundos e vários minutos/ horas dependendo de várias condições.
  Depois de desligar o WPS, mude a senha da rede WPA/WPA2.
  Alguns aparelhos antigos em especial da marca Cisco/ Linksys são famosos por não permitir desligar essa funcionalidade, mesmo que não apareça no ecrã de administração! Por vezes só substituindo por firmware alternativo com o DD-WRT ou atualizando o firmware, se existir alguma atualização é que se consegue desligar essa funcionalidade. Pode confirmar se o seu router tem o WPS ligado ou não usando o Homedale anteriormente sugerido e verificando se à frente do nome do seu router aparece na divisória "Mode" o nome "WPS", se não aparecer é porque está efetivamente desligado.

- Use cabos Cat6 FTP (ou superior como Cat6a FTP, Cat6e FTP, Cat7 FTP ou até mesmo Cat7a FTP) para ligar entre aparelhos (modem, routers sem fios, computadores, etc.) dado que esta categoria de cabo permite velocidades (garantidas) de 1 Gbps (mas pode ir aos 10 Gbps ou mais (40 a 100 Gbps) nas categorias superiores e com os equipamentos adequados naturalmente) e além disso faz parte das suas especificações proteger o cabo de interferências electromagnéticas que possam existir nos arredores do cabo (máquinas, lâmpadas, etc.) e que podem induzir erros nos dados que circulam no mesmo. Se não souber onde adquirir estes cabos Cat6/ Cat6a ou Cat7 FTP, visite a Lidertrónica.
Note que os cabo do tipo "FTP" são mais rijos que os "UTP" normalmente incluídos junto com os aparelhos vendidos pelos operadores e empresas da especialidade, mas tem a vantagem de melhor proteger contra interferências, tenha atenção a isto.
A distância máxima destas categorias é de 100 metros, acima disso muitos ainda funcionarão mas com uma performance inferior.

- Use cabos de fibra óptica.
Existem vários tipos, mas por exemplo LC/LC  50/125µm numa distância de até 550 metros permite ter no conversor largura de banda de até 2000Mbps (Full-duplex) ou numa distância de até 2 Km permite ter no conversor largura de banda de até 200Mbps (Full-duplex).
Têm vantagens óbvias como o sinal ser totalmente imune às interferências electromagnéticas e de frequências rádio, assim como o facto de ser isolado da electricidade.
É uma solução mais dispendiosa que os cabo de rede tradicionais uma vez que além do cabo e eventuais acessórios é necessário um conversor em cada ponta a menos, eventualmente, que os equipamentos aos quais vai ligar já tenham tecnologia de fibra-óptica integrada compatível com o que instalar.
 

Atualização mais recente: 2018-07-01